Feeds:
Posts
Comentários

Archive for 27 de junho de 2012

Arte Tumular – Cemitério da Consolação – São Paulo – SP
Jazigo de Manuel Ferraz de Campos Sales

Manuel Ferraz de Campos Sales
Campinas, 15 de fevereiro de 1841 — Santos, 28 de junho de 1913 foi um advogado e político brasileiro, terceiro presidente do estado de São Paulo, de 1896 a 1897 e o quarto presidente da República, entre 1898 e 1902.

Bacharel em direito pela Faculdade de Direito de São Paulo da turma de 1863, Campos Sales ingressou, logo após se formar, no Partido Liberal. A seguir, participou da criação do Partido Republicano Paulista (PRP), em 1873, sendo, portanto, um republicano histórico.

Foi deputado provincial de 1867 a 1871, vereador (1872), novamente deputado provincial (1881), deputado geral, (hoje se diz deputado federal), de 1885 a 1888, e deputado provincial (1889), sempre pelo PRP. Foi um dos três únicos republicanos a serem eleitos deputados gerais durante o Império do Brasil.
Com a Proclamação da República, foi nomeado Ministro da Justiça do governo provisório de Deodoro da Fonseca quando promoveu a instituição do casamento civil e iniciou a elaboração de um Código Civil na República. Substituiu o Código Criminal do Império de 1830, pelo Código Penal da República, através do decreto nº 847, de 11 de outubro de 1890.

Foi eleito senador da república em 1891, mas renunciou ao cargo, em 1896, para se tornar presidente do estado de São Paulo, cargo que exerceu até 1897, quando renunciou para poder ser candidato à presidência da república. Na comissão de justiça do Senado Federal, trabalhou, entre outros, no projeto de lei sobre crimes de responsabilidade do presidente da república.

Como governador, na época se dizia presidente, enfrentou um surto de febre amarela em todo o estado, um conflito na colônia italiana na capital, uma onda de violência na cidade de Araraquara, no episódio que ficou conhecido como Linchaquara, e enviou tropas estaduais para combater na Guerra de Canudos.

Campos Sales recebeu o apelido de Campos Selos, por causa do imposto do selo, sendo vaiado ao deixar a presidência também por causa de sua política de ajuste financeiro que incluíra a retirada de circulação de papel-moeda, o que dificultou o consumo interno e o comércio, política econômica essa que fora mal compreendida pela população brasileira.

Após o mandato presidencial, foi senador por São Paulo e diplomata na Argentina onde trabalhou com Júlio Roca que também era diplomata e do qual ficara amigo quando ambos foram presidentes. Durante as articulações (demárches) para a eleição presidencial de 1914, seu nome chegou a ser lembrado para a presidência da república, mas faleceu repentinamente, em 1913, quando passava por dificuldades financeiras.

(Foto de Felipe Alexandre Herculano)
Janeiro 2012

Read Full Post »

Olha que coisa mais liiiinda,

mais cheia de graça!!!

Read Full Post »

Um salve aos 76 anos de Hermeto Pascoal e à sua iniciativa de disponibilizar toda sua discografia para download.

Só um reparo:

“o que o Hermeto disponibilizou foram as partituras das composições dele, e não propriamente a discografia, até porque parte do que produziu entre fins dos anos 70 e ao longo da década de 80 pertence a gravadoras ditas ´majors`…”

Read Full Post »

Read Full Post »

Grafiteiro Eduardo Kobra é um

dos indicados ao Prêmio Cidadão Sustentável

Read Full Post »

Música… Informação…

Cine Joia fecha parceira com Google e shows serão transmitidos via Youtube.

Quem inaugura a parceria é a banda americana Of Montreal

Read Full Post »

Será que

“AS MINA PIRA”???????

KKKKKKKKKKK

Parabéns querido TOM ZÉ, pela inventividade, engenhosidade, criatividade,

juventude, inteligência, compreensão e tantas coisas mais!!!

Voce “é o cara, véi!!!”

kkkkkk

Como tem a ver com a gracinha acima… não resisti:

Read Full Post »

Older Posts »